• Publicidade

Zika Vírus, do Brasil para o Mundo

Zika virusZika Vírus, do Brasil para o mundo: confira um resumo da doença desde que foi identificada no início de 2015.

Há cerca de nove meses a Organização Mundial de Saúde (OMS) emitiu um alerta global sobre o Zika vírus que deixou o mundo inteiro de cabelo em pé! O gatilho foi a descoberta de contaminação em solos brasileiros em abril de 2015, mais precisamente na cidade de Camaçari, na Bahia.

De maneira rápida e alarmante, já houve registros da disseminação do vírus confirmados em mais de 60 países, nos cinco continentes do planeta! Antes disso, alguns surtos isolados já haviam sido historiados desde a identificação primária em um macaco africano no final da década de 40.

Desde então, muito já foi dito por parte da imprensa mundial acerca da gravidade do distúrbio, e da transmissão pelo mosquito Aedes Aegypti. Por isso, confira neste artigo, alguns fatos importantes que faz com que as pessoas se mantenham de olho na incidência da doença.

Sintomas

Você sabe distinguir a Zika das outras enfermidades transmitidas pelo mesmo pernilongo? Relembre alguns sintomas mais comuns: febre, dor de cabeça, dor muscular e nas articulações, coceira ou manchas vermelhas na pele e a conjuntivite ou hipersensibilidade ocular.

Complicações do Zika Vírus

Pouco se sabe quanto ao desenvolvimento e complicações do vírus, já que todas as descobertas são proporcionais à recente proliferação. Enquanto isso, esteja atento quanto aos últimos estudos:

  • Contágio sexual: além do inseto, foi confirmado que o mal também é transmitido pelo sexo. Através de testes com ratos, os pesquisadores descobriram que os agentes virais permanecem se reproduzindo na vagina da fêmea gestante até seis meses após a infecção, atingindo o cérebro do feto;
  • Relação com a microcefalia: já era um consenso científico, mas foi confirmada neste mês, fazendo com que os quatro cantos do mundo relembrem a importância da prevenção;
  • Ligação com a síndrome Guillain-Barré: estudos apontam de o vírus também está fortemente relacionado com a síndrome, uma alteração neurológica que provoca fraqueza muscular generalizada, embora os cientistas ainda não tenha conseguido provar a ligação.

A doença no Brasil

O fim do ano retoma as preocupações acerca da propagação da doença e aumento de casos, visto que o o período chuvoso, na maior parte do território nacional, deve iniciar a partir do próximo mês. Isso porque o calor e a umidade configuram um cenário ideal para o aconchego do Aedes, por isso, a água parada continua sendo o maior temor das autoridades sanitárias, pois é sinônimo da reprodução acelerada do mosquito.

Em solo tupiniquim até agora já foram confirmados quase 170.000 de casos; 4 mortes, e o nascimento de mais de 1.800 bebês diagnosticados com a microcefalia, sendo a maior parte da incidência no estado da Bahia, seguido do Rio de Janeiro.

Zika no mundo

Em 2007, foram registrados alguns casos na Oceania. Já na Polinésia Francesa, um surto ocorreu entre 2013 e 2014 registrando mais de 30 mil casos do problema e oito diagnósticos de bebês com microcefalia. Em ambos os países, o alastramento foi controlado e dado como encerrado.

No entanto, desta vez, a imprensa global atribuiu a difusão ao Brasil, recomentando às pessoas, exaustivamente, que evitassem vir ao país. Fatos alarmantes referentes à epidemia rechearam as páginas dos maiores jornais do mundo, como os americanos The New York Times, Washington Post e Huffingtonn Post; o italiano Corriere dela Sera; o espanhol El País, e ainda o francês Le Monde.

Estrangeiros no país da Zika

Embora os esforços dos noticiários globais venham tentando diminuir as viagens ao Brasil, as estimativas detectaram um número alto de turistas, inclusive no Carnaval deste ano, provenientes, sobretudo, dos Estados Unidos, México, Equador, Peru, Argentina, Chile, Uruguai.

Já durante as Olimpíadas, somente o estado do Rio de Janeiro recebeu mais de 400 mil turistas estrangeiros. Apesar disso, ainda não há relatos de pessoas que contraíram a patologia por terem visitado o país neste ano.

Prevenção em comum

Cada nação tenta lidar com o máximo de recursos possíveis para combater a Zika. Na Terra do Mickey, por exemplo, já foram confirmados 650 casos da febre e 86 gestantes infectadas. Por isso, desde junho, já foram autorizados mais de 35 milhões por parte do governo do estado da Flórida para o monitoramento e combate ao pernilongo, treinamento de técnicos de controle, melhorar a capacidade dos laboratórios, e também adquirir kits de prevenção contra o vírus.

Veja agora as últimas recomendações divulgadas pela OMS:

  • manter as janelas fechadas, ou com tela, evita que o mosquito entre nas casas e empresas;
  • o uso de roupas claras e que cubram o corpo também evita as picadas;
  • o uso da camisinha continua sendo imprescindível, inclusive por gestantes.

Gostou de desvendar os principais desdobramentos do Zika Vírus no Brasil e no mundo?! Então compartilhe com seus amigos este importante resumo!

Autor: Luciana Márcia

Sobre Galdino

Paixão por saúde e qualidade de vida. Desde 2013 buscando informações sobre a melhor maneira de se viver com mais saúde e melhor qualidade de vida. Mantenho alguns blogs com o objetivo principal de passar adiante as informações e o conhecimento que tenho adquirido ao longo desse tempo. Durante esses anos tenho "corrido" atrás de conteúdos relevantes que, de alguma forma possa me ajudar e ajudar outras pessoas a viver com mais qualidade de vida.
Adicionar a favoritos link permanente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • Publicidade